Não há estradas sem curvas, sem buracos, sem perigo. Mas há pessoas que não sabem nem em que estrada estão.

Pra onde estou indo?
O que tenho feito dos meus dias?
O que estou plantando?

E um dia acordamos e essas questões nos vem à mente:
Pra onde essa estrada vai me levar?
Há um propósito no que faço?
Meus esforços, meus desgastes, meu cansaço
serão úteis para a minha meta.
Na verdade: qual a minha meta?

Cada um de nós segue numa imensa estrada
numa longa jornada que se chama vida.
Todos os dias caminhamos um pouco nela.

Há aqueles que procrastinam, que nada fazem, que se escondem…
Esses estão caminhando em direção a um destino triste
sem valor, sem construção,
mas também estão caminhando… Há outros que caminham com foco apenas na carreira
no dinheiro, no conforto,
Esses também estão caminhando
mas em direção a um destino frágil, um destino que precisará de bens
que tem como motivação apenas as conquistas monetárias, materiais,
mas esses também estão caminhando.

Há ainda os que caminham apenas para sobreviver
que entregaram seus destinos às empresas, aos chefes, ao conformismo
que chamam de necessidade.
Esses caminham com medo, subservientes, com peso… Seu destino, sua esperança é de um dia descansar alimentados por um
benefício, uma aposentadoria, algo que os permita sobreviver.
Mas esses também estão caminhando.

E há aqueles que escolhem, diariamente, as estradas que os levam para
mais perto de seus corações. Estradas difíceis, com curvas acentuadas, estreitas.
Estradas que os desaconselham seguir. Estradas com neblina, sem sinalização aparente, sem conforto, sem garantias.
Mas são essas as estradas que ao findar vão dar nos mais belos dos paraísos.
Estradas que depois de um tempo de percorridas, trarão paisagens, cachoeiras,
prados lindos… Estradas que sempre serão difíceis, mas que, com certeza, são as únicas que merecem ser percorridas.

Qual a sua estrada?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *