Acredite nos sinais. Nada é por acaso.

Números se repetem.
11:11, 13:13, 19:19…
Símbolos, lugares, sinais…
Uma lembrança, um pensamento, um sonho…
E de repente, estão lá!
Bobagens!
Meras coincidências…
O inexplicável cabe melhor na caixa das bobagens.
Tem sabor?
Cheiro?
Eu posso ver?
Ouvir?
Sentir na minha pele?
Então não existe… A alma conversa melhor com o silêncio.
Tudo que é necessário vem.
Em sonhos, em números, em “coincidências”…
O guerreiro busca respostas.
Pede sinais.
E eles vêm.
Soltos eles conduzem.
Presos, enfraquecem.
Que venham os sinais!
Clama a alma.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *