Dream and do it!

Those who have achieved great things didn’t have anything you don’t have.


Ayrton Senna, Steve Jobs, Bill Gates, Angela Merkel, Nelson Mandela, Jorge Paulo Lemann, Warren Buffett, o que estas pessoas têm de diferente que as tornaram lideres excepcionais em suas áreas?

Os cérebros dos humanos têm, em média, 100 bilhões de neurônios, seja você o Ayrton Senna ou um simples operário de obras, o número de neurônios é o mesmo. Mas então porque o Ayrton Senna virou um Ayrton Senna e a esmagadora maioria de nós continua sendo pessoas sem o destaque e o brilho que ele, e alguns outros, alcançaram em suas áreas de atuação? Se a diferença não é fisiológica onde ela está? Seria tão bom se pudéssemos nos justificar baseados em nosso eventual número inferior de neurônios…Com certeza existem casos de talentos precoces de difícil explicação até mesmo para a ciência. Mozart, por exemplo, começou a compor aos cinco anos de idade e, ainda hoje, vemos diversas crianças tocando instrumentos, resolvendo intrincadas equações matemáticas, ingressando em faculdades com muito pouca idade.

Mas não estamos falando desses casos que são as exceções às regras, nossa pergunta é: como algumas pessoas conseguem se distanciar tanto de outras, exercendo atividades profissionais ou esportivas de modo tão espetacular?

Analisando o comportamento de diversos lideres mundiais, algumas Universidades americanas e européias vêm publicando estudos e artigos com explicações diversas. Alguns estudos são focados nas análises dos modelos administrativos adotados; outros no processo criativo utilizado, existem também Universidades que avaliam essas questões de modo mais científico mas, na grande maioria dos estudos há sempre um componente de interseção: o comportamento dessas pessoas em relação às suas metas.

Percebe-se que foco, determinação, disciplina, capacidade de visualização do que querem, são características comuns entre os grandes lideres, assim como empatia, estratégia e capacidade de persuasão.

A neurociência, através de estudos recentes, demonstrou que o cérebro continua produzindo células, independentemente da idade da pessoa, o que é chamado de neurogênese. Mas o que fará essas células continuarem vivas e promovendo melhorias nas habilidades dos indivíduos, será o seu uso. Ou seja, não usou a célula nova, ela morre.

Se temos o mesmo número de células dos grandes líderes, se continuamos a produzir células como eles e se os estudos demonstram que algumas características comportamentais são quase padrão entre esses homens, a que conclusão, quase óbvia, poderíamos chegar? Vamos repetir o comportamento deles que faremos a diferença também! Fácil? Nada fácil…

Para se ter foco e determinação é fundamental ter motivação. Steve Jobs se não quisesse MUITO criar um computador diferente, mais bonito e mais moderno, teria desistido logo no começo de sua jornada… Warren Buffett se não tivesse tido a paciência, o conhecimento técnico e a determinação para analisar os balanços das empresas, assim como a persistência de conhecer seus modelos de gestão e seus líderes, não teria tido tanto sucesso em seus investimentos e tornado-se um dos três homens mais ricos do mundo. E Ayrton Senna com sua disciplina, Mandela com sua determinação, Angela Merkel com seu foco…? Nossa lista de ícones mundiais que se tornaram diferenciados, é enorme. Eles não correram atrás de dinheiro, eram movidos pelo desejo sincero de fazer melhor o que estavam vendo que podia ser feito melhor…

A grande diferença dessas pessoas é que elas tinham um sonho. Um desejo. Um foco. Tinham ou têm algo que as motiva tanto, a ponto de se dedicarem de tal maneira que a vida se torna muito mais prazerosa, muito mais apaixonante.

Foco, determinação, disciplina são fatores comuns aos grandes lideres. Mas se quer se destacar e criar algo maior do que você mesmo, a dica é uma só: acredite e lute, incansavelmente pelo seu sonho.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *