Quero fazer tanta coisa…

Estudar inglês ou espanhol? Tenho que fazer ginástica: correr, nadar, musculação, alongamento, yoga ou alguma luta? E tem aquela turma que pedala, acho que eu iria gostar… Curso de culinária? De vinho? E a meditação? Tanta coisa legal para ler. Que livros, sites e blogs priorizar? Biografias, romances, livros sobre negócios ou auto-ajuda? Aprender violão, sax ou piano? E o curso de pintura que sempre quis fazer? E os filmes que preciso ver? E aquele projeto de começar meu negócio? Na verdade eu tinha idéia de dois negócios… E o tempo que quero dedicar aos meus filhos, minha família e meus amigos? E os compromissos que me tomam praticamente o dia todo? Como conseguir tempo para fazer tudo que tenho vontade, tudo que gosto e tudo que preciso? Socorro!!!

São tantos os nossos desejos, tantos interesses, tantas opções que nos motivam… mas quando não as vivenciamos em algum nível, podem se transformar em ferramentas de frustração. E a vida vai passando, muito pouco de nossos sonhos vamos realizando e assim, a semente que um dia era de uma flor, pode se transformar em erva daninha.

Para realizar temos que administrar dois grandes grupos de recursos: o primeiro, que chamo de Recursos Limitados, são o tempo e o dinheiro e o segundo, que chamo de Recursos Limitadores são o foco e a motivação.

Os Recursos Limitados são os mais fáceis de se administrar, fato que pode até soar estranho para alguns: “Ele vem me falar que administrar meu limitado dinheiro e meu tempo é fácil? Só pode estar brincando! Senta aqui na minha cadeira Paulo!!!“. Como o próprio nome diz, esses recursos são limitados; o tempo então, totalmente limitado. O dinheiro pode variar em função de uma série de fatores, como aumento salarial, diminuição de despesas, ganhos ou despesas extras…, mas o tempo não. Todos os 7 bilhões de habitantes do planeta dispõem exatamente do mesmo número de horas por dia. Então, para utilizarmos bem os Recursos Limitados, temos apenas que fazer contas: quanto temos de dinheiro x quanto temos de tempo. Quantas horas trabalhamos? Quanto tempo no trânsito? Quanto tempo dormindo? Quanto tempo desperdiçamos? Nosso intervalo de almoço, por exemplo, pode ser melhor aproveitado? Que despesas podemos cortar? Onde e como o dinheiro está sendo mal utilizado? O que poderíamos cortar de despesa para assumirmos outra que fosse mais útil e prazerosa? Ou seja, sentar, fazer contas, definir prioridades e colocar no papel. Se fosse só isso seria fácil…

Os Recursos Limitadores são mais complicados. Administrar foco e motivação é muito mais complexo do que pode parecer. Definir prioridades e segui-las. Não se distrair num mundo que é todo voltado para a distração. Manter-se motivado mesmo estando cansado, chateado e sem dinheiro… Quando queremos tocar um instrumento, queremos tocar logo e bem. Ter que passar por horas de estudo repetindo aquele exercício chato, ninguém quer. Ler um livro até o final? Com tantos outros livros para ler por que me prender a esse? Será que não tem um resumo? Acordar cedo para ir para a academia logo hoje? Ontem fui dormir tarde e estou tão cansado… E por aí vai.

Para adquirir o mínimo de habilidade que nos torne, não experts, mas pessoas com conhecimento suficiente para nos sentirmos bem fazendo o que buscamos fazer, precisamos de disciplina e dedicação. Não precisamos nos tornar o melhor corredor do grupo, não precisamos ser os melhores músicos, nem os melhores pintores, e nem mesmo ter a melhor empresa do mundo. Para nos realizarmos precisamos… realizar. E essa realização precisa de motivação. Se for estudar, busque um curso que vá ao encontro do seu perfil, não entre em um curso chato! Se for se exercitar, procure um local ou uma atividade que o agrade, não faça porque outros indicaram… Se for montar um negócio, faça algo que goste, não pense apenas em dinheiro. Todas essas atividades sempre terão componentes chatos, difíceis, que gostaríamos de não ter que fazer, mas não tem jeito, terão que ser feitas.

Eu defino minhas prioridades utilizando uma técnica que chamei de FNL – Fluxo Natural de Livraria. Quando eu entro numa livraria, quais são as seções que mais me atraem? Qual meu fluxo natural? Nestas seções estão meu maiores interesses, minhas maiores motivações, meus verdadeiros desejos…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *