Coerência

O que é ser coerente? Das definições que pesquisei, a que mais me chama a atenção é a que diz que ”coerência é a relação estreita entre idéias que estão de acordo entre si”. Esse termo, sob o ponto de vista filosófico, tem gerado muita polêmica entre os grandes pensadores. Oscar Wilde, por exemplo, dizia: “A coerência é a virtude dos imbecis” e Fernando Pessoa emendava com” A coerência, a convicção, a certeza, são demonstrações evidentes – quantas vezes escusadas – de falta de educação. É uma falta de cortesia com os outros ser sempre o mesmo à vista deles, é maçá-los, apoquentá-los com nossa falta de variedade”. E finalizando com o nosso Raul Seixas que eternizou a frase: “eu prefiro ser uma metamorfose ambulante, do que ter a mesma velha opinião formada sobre tudo”.

Mudar de idéia, ser vários em um só, reinventar-se… para esses homens, precisamos estar abertos para o novo, precisamos estar dispostos a sempre avaliar nossos valores e, quando convencidos por bons argumentos, aceitar e mudar. Eu confesso que, poeticamente gosto muito disso, mas na prática não sei bem como funciona.

Salvador Dali era um só sempre. Na sua genialidade mudou seu estilo, mas era Dali. E Fernando Pessoa entre personagens e heterônimos, criou mais de 70, mas era sempre Fernando Pessoa escrevendo… Mozart, Bach, Andy Warhol… Walt Disney, Steve Jobs, Bill Gates,… gênios que eram sempre os mesmos.

Um negócio de sucesso precisa ter coerência. Precisa ter unidade. Precisa ter o espírito correto. Não é aconselhável entrar num restaurante japonês onde tem um gaúcho de bombacha fazendo sushi, nem numa livraria com pouca luz e som alto. Cada negócio tem um espírito próprio, um arquétipo que precisa ser respeitado.

Buscar uma renovação pessoal, um movimento para o novo, é sempre bem vindo, desde que o negócio ou a pessoa mantenham uma coerência. A busca pela coerência pessoal não é fácil. Se descobrir e aceitar-se com suas várias facetas também é complicado, mas todos temos algo que é mais forte, mais predominante, que é mais a nossa cara e isso é o que deverá prevalecer.

E no seu negócio, idem. Esteja você idealizando, construindo ou tocando algum empreendimento, busque coerência entre o produto/serviço que irá ou está vendendo e as atitudes, arquitetura e comunicação do negócio. Seu cliente não quer um dia almoçar num restaurante vegetariano e no dia seguinte, ao voltar, encontrar um balcão de açougue de carnes nobres no estabelecimento.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *