Somente Por Hoje

Temos, realmente, controle sobre o nosso futuro? Conseguimos nos organizar, nos planejar de modo que todas nossas intenções se realizem conforme previstas? Da mais simples a mais complexa, nenhuma de nossas metas está totalmente sobre nosso controle.

Não podemos controlar as políticas econômicas que interferem diretamente nas nossas questões financeiras pessoais; não conseguimos controlar a meteorologia, nem mesmo confiar na previsão, o que acaba interferindo nas escolhas de roupas, nas nossas programações de viagens, de festas, passeios…; não controlamos a ação do motorista que está dirigindo perto de nosso carro; não podemos controlar a reação de um atendente que pode ser ríspida, simpática, proativa ou de descaso; não controlamos nossos empregos; não controlamos as correções de nossas aposentadorias; não controlamos nossas doenças, muitas evitáveis, outras genéticas; e ainda tem os extremistas religiosos, os imprevistos…. E achamos que podemos controlar como será o nosso futuro.

É claro que temos que planejar nossos futuros. No longo prazo temos que pensar em como nos sustentaremos, em quais serão nossas fontes de receita, onde moraremos…  No curto prazo temos que pensar em nossas necessidades e desejos mais imediatos: a troca ou a compra de um carro, de um imóvel, na abertura de uma empresa, numa mudança de emprego, nos quilos que queremos perder, na faculdade que queremos cursar… Tudo isso demanda um planejamento, demanda abrir mão de alguma coisa para conseguirmos outra. Mas temos que ter consciência de que tudo pode mudar, de uma hora para outra… E nossos planos precisarão ser adequados para esse novo momento.

Gosto da definição de hedonismo segundo Epicuro que diz que a felicidade está na busca da libertação do sofrimento, da dor e da agitação. Existe outra linha de pensadores hedonistas que entendiam que o prazer era a busca pela alegria e pela felicidade. Segundo Epicuro, “nenhum prazer é em si um mal, porém certas coisas capazes de engendrar prazeres trazem consigo maior número de males que de prazeres”. 

Existe uma máxima que norteia os trabalhos dos grupos de ajuda que diz: “somente por hoje”, ou seja: viva um dia de cada vez. Por trás disso está a consciência de que o que mais prejudica os homens é a ansiedade, o desejo de resolver logo todos seus problemas. Ao viver um dia de cada vez estamos andando pra frente sempre e, quando menos esperarmos, o futuro terá chegado e nossas metas, nossos planejamentos terão sido atingidos.

Viver leve, com metas atingíveis, poupando, cuidando da saúde física e mental, consumindo apenas o necessário e rindo muito e sempre. Esses são os tradicionais e eternos ingredientes para um futuro feliz e incontrolável.